sábado, 29 de novembro de 2014

Outono [pensar é estar doente dos olhos]





O meu olhar é nítido como um girassol
(...)
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto
(...)
Sei ter o pasmo essencial
(...)
Sinto-me nascido a cada momento
Para eterna novidade do mundo

Creio no mundo como num malmequer
Porque o vejo. Não penso nele
Porque pensar é não compreender

O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)

(...)
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar

Alberto Caeiro



Sem comentários:

Publicar um comentário